Distribuição: Paris Filmes

Gringo: Vivo ou Morto


Com produção da atriz Charlize Theron, Gringo, é o lançamento da Diamond Films para esta quinta-feira (03). A comédia tem direção de Nash Edgerton, irmão do ator Joel Edgerton, e exibe uma tramoia maluca envolvendo a diretoria de uma grande empresa de farmacêuticos na venda de drogas ilícitas a um traficante mexicano, sem que ninguém dentro da corporação saiba.

Charlize e Joel estão no elenco bem como David Oyelowo, Sharlto Copley, Amanda Seyfried, Harry Treadaway, e Thandie Newton. A produção tem ainda a estreia da filha do rei do pop Michael Jackson, Paris Jackson, como uma participação minúscula.

A Amazon Studios, a Blue-Tongue Films, a Picrow e a Denver and Delilah Productions são coprodutoras do filme que chega ao Brasil com o subtítulo de 'Vivo Ou Morto'.

Trailer

Harold Soyinka (Oyelowo) é o tipo de cara certinho que só se dá mal. Ele mora em Chicago com a esposa Bonnie (Newton), mulher que mal lhe dá atenção, mas adora estourar o cartão de crédito. Graças ao 'amigo' Richard Rusk (Edgerton) conseguiu trabalho em uma empresa que vende fórmulas farmacêuticas de sucesso e tem laboratórios baratos no México para não ter muito custo em solo norte-americano. Além de ser subordinado de Rusk. Harold também responde a ambiciosa Elaine Markinson (Theron). Elaine e Richard, aliás, são responsáveis pelo laboratório mexicano, mas sempre enviam Harold para inspecionar tudo por ali. Um belo dia, apreensivos com uma visita de outros membros da empresa a instalação, a dupla viaja com Harold para o lugar e pede a um dos funcionários que não produza mais um certo tipo de 'droga' que estava sendo enviada a um traficante chamado Pantera Negra (Carlos Corona). Harold, claramente, não sabe exatamente o que a empresa tem feito e ainda descobre que sua mulher planeja o deixar. Certo de que Richard é o culpado de muitos acontecimentos recentes, o homem finge ser sequestrado em terras estrangeiras e se mete em mil e uma confusões. Em uma delas, ele conhece o casal Sunny (Seyfried) e Miles (Treadaway) e também o ex-matador de aluguel e ativista Mitch (Copley).

 Edgerton interpreta um homem de negócios trapaceiro e Charlize uma mulher desbocada e inteligente. Ambos os personagens tem relações diretas ao que acontece com Harold, papel de Oyelowo.

O filme tem uma trama central e outras várias subtramas e tudo se interliga do segundo ato em diante. Apesar de ter um desenrolar conveniente, ele é salpicado de cenas engraçadíssimas e apresenta um elenco bem preparado para o que se pede. Temos personagens traiçoeiros para todos os lados e um mocinho que se atrapalha até mesmo quando quer trocar de lado. Tudo se apresenta muito simples e não há em si nada exemplar ou inovador.

Theron interpreta uma chefona sem papas na língua e que sempre terá a última palavra (a atriz ganha um figurino chiquerrimo e consegue ficar ainda mais bela). Edgerton vive um 'business man' que pensa ser o esperto da história, mas nem é tanto assim, no final das contas. Newton aparece pouco, mas sua 'esposa traiçoeira' também deixa seu recado. Amanda e Harry interpretam um casal de namorados onde um sabe que está fazendo merda e o outro nem desconfia. Ah, e o malandro da vez faz isso a pedido da gótica perigosa Nelly, vivida por Jackson. Copley e Oyelowo tem ótimos momentos em cena. O primeiro é aquele tipo matador de aluguel convertido em bom moço (será mesmo?) e o segundo é o mocinho da história toda que passa por poucas e boas até realmente acordar. Aos cinéfilos de plantão vai ser fácil reconhecer o ator Alan Ruck, o Cameron de 'Curtindo A Vida Adoidado'. Aqui Ruck faz uma pequena participação tentando ganhar a vida como o empresário Jerry.

Nelly (Jackson), Miles (Treadaway) e a doce Sunny (Seyfried)

Nash é um artista completo como o irmão Joel. Dirige, atua, edita, escreve e se precisar se vira nos 30. Gringo é seu segundo longa, o primeiro foi o mediano ''O Quadrado'', produção escrita pelo irmão em parceria com Matthew Dabner. Ele assina ainda mais de 15 curtas e já atuou em mais de 40 filmes além de também trabalhar como dublê. Aqui ele tem um trabalho franco e sem rodeios. Uma comédia sem intenções maiores de causar reflexão e apenas levar graça ao público. Temos um ou outro estereotipo dentro do filme, mas as surrealidades da trama conseguem nos fazer esquecer isso.

O roteiro é da dupla Antony Tambakis e Matthew Stone. O primeiro tem uma filmografia repleta de dramas e o segundo cai mais pro lado da galhofada. A parceria até que faz sentido e dialoga bem com o que quer passar.


A trilha sonora (ver lista de canções aqui) é bem alternativa e o filme até começa ao som de Will Smith e sua dançante 'Getting Jig With It'. As composições originais são assinadas por Christophe Beck.


Ficha Técnica: Gringo, 2018Direção: Nash Edgerton. Roteiro: Antony Tambakis e Matthew Stone. Elenco: Charlize Theron, Joel Edgerton, Amanda Seyfried, David Oyelowo, Thandie Newton, Paris Jackson, Carlos Corona e Sharlto CopleyGênero: comédia, ação, policial. Trilha Sonora Original: Christphe BeckFotografia: Eduard GrauFigurino: Donna Zakowska. Edição:Luke Doolan, David Rennie e Tatiana S. Riegel. Distribuidor: Diamond Films. Nacionalidade:Estados Unidos, Australia. Duração: 01h50min.


Avaliação: Dois traficantes mexicanos e sessenta e cinco corporações malandras (2,65/5).


03 de maio, nos cinemas!

See Ya!

B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)