Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (3D)


O segundo filme da franquia 'Animais Fantásticos', spinoff e quase prequel do universo Harry Potter, tem um tom menos aventureiro e romântico que seu antecessor. Na verdade, a mega produção inicia a caminhada sombria do grande bruxo Grindelwald (Johnny Depp) para dominar o mundo mágico e também dos trouxas, ainda tem o Magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) como protagonista e traz diversas revelações do passado de personagens importantes da saga HP,como por exemplo, o poderoso diretor de Hogwarts, Albus Dumbledore (Jude Law).

Há poucas alterações no time técnico, mas, no geral, a equipe de 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' (ler comentários aqui) volta em peso para esta continuação que recebe o subtítulo de ''Os Crimes de Grindelwald''. David Yates aparece novamente na condução do barco e o produtor David Heyman é o grande investidor do projeto outra vez.

Com o aprofundamento da história e dos detalhes da vida de bruxos já amados pelo público é possível que ao final dos créditos haja um amor ainda maior pela retomada da trama ou um desprezo pelas escolhas da autora e roteirista J.K. Rowling. No elenco: Katherine Waterston, Ezra Miller, Alison Sudol, Dan Fogler, Ron Pelrman, Carmen Ejogo, Callum Turner, Zöe Kravitz e Cláudia Kim.

Trailer


Ficha Técnica.
Titulo original: Fantastic Beasts, 2018. Direção: David Yates. Roteiro: J.K. Rowling. Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Ezra Miller, Alison Sudol, Johnny Depp, Jude Law, Dan Fogler, Ron Pelrman, Carmen Ejogo, Callum Turner, Zöe Kravitz, Cláudia Kim, Kevin Guthrie, Fiona Glascott, Brontis Jodorowsky, Cornell John, Jamie Campbell Bower, Thea Lamb, William Nadylam, Toby Regbo, Joshua Shea, Victoria Yeates. Nacionalidade: Eua, Reino Unido. Gênero: Aventura, Fantasia. Trilha Sonora Original: James Newton Howard. Fotografia: Philippe Rousselot. Edição: Mark Day. Figurino: Colleen Atwood. Design de produção: Stuart Craig. Supervisor de direção de arte: Martin Foley. Distribuidora: Warner Bros Pictures. Duração: 02h13min.

O enredo deste não é de apresentação como 'Animais Fantásticos'. Sua função é de fato sondar o que quer Grindelwald e como fará para conseguir isto. O órfão Credence (Miller) ainda está em busca de respostas sobre sua origem, enquanto isto, Newt (Redmayne) recebe uma missão do seu ex-professor Albus Dumbledore (Law) para buscar pistas do paradeiro de Credence e evitar que Grindeldewald o encontre. Também conhecemos personagens novos - que na verdade são antigos - caso de Nagini (Kim). A moça é uma atração de circo e em suas apresentações o público se maravilha com sua transformação em uma fera. A senhorita Leta Lestrange (Kravitz), futura cunhada de Newt, também tem sua história revelada (algo bem polêmico, por sinal) e o irmão do Magizoologista, Theseus (turner) aparece para enfrentar aqueles que vão contra o Ministério da Magia.

Tina (Waterston), Jacob (Fogler) e Queenie (Sudol) também se juntam a nova aventura de Newt.
Grindelwald (Depp) inicia a chamada para o seu exército das trevas

O roteiro de J.K. contextualiza bastante o que vem por ai nos próximos filmes, mas deixa inúmeras dúvidas, pois mexe na árvore genealógica dos personagens e contradiz ligações familiares apresentadas nos livros do bruxinho Potter que também não foram alteradas nas telas, mas aqui o são.

Sabe-se que a escritora/roteirista é cheia de panos na maga, porém, é possível que ela esteja reeditando o próprio trabalho. Sua magnitude aqui é clara. E para muitos esta continuação se sobressai ao primeiro filme. Mas há controvérsias já que aquele as trajetórias não eram tão contraditórias.

Alivio cômico é algo que pouco será visto aqui, mesmo com a participação de Dan Fogler, ator que interpretou Jacob no filme anterior e teve este papel. Queenie, bruxa vivida por Alison Sudol, também muda de trajetória, mas Newt e Tina não. Estes aliás são peças chaves para a investigação dos fatos sobre o garoto Credence e também 'os ditos crimes de Grindelwald' - subtítulo que não faz muito jus ao filme. Nicolau Flamel, criador da Pedra Filosofal, também dá as caras. E vemos uma professora McGonagall sem personalidade ainda circular por Hogwarts.

Novos 'animais' são introduzidos, mas é a pequena história da amaldiçoada Nagini, a cobra de Lord Voldemort para quem não sabe, que se faz presente. Todavia, a personagem tem função desconexa aos acontecimentos do enredo e este é apenas um dos furos que o roteiro não preenche. Não há muitas amarrações em como e porquê alguns bruxos se encontram ou porquê o deveriam.

Nagini em tese era portadora de uma doença de sangue que a transformaria em cobra para a vida toda
Os personagens ganham linhas temporais diferentes já que voltamos também ao passado de Newt e de sua colega de classe Leta para entendermos melhor o que se passou com eles enquanto estavam na escola. Há também imagens claras de Dumbledore e Grindelwald jovens, mas ainda não há encontro deles. Afinal, todos já sabem que os bruxos se enfrentarão ao final da franquia - que promete realizar mais três filmes.

A escolha de Jude Law como Dumbledore é um dos poucos pontos positivos do filme. Bem como a continuidade de um tratamento especial ao design da produção inteira. Inclusive cabe dizer que é estarrecedor o quão lindo é tudo ali. De direção de arte a fotografia e também as decorações do sets e o figurino. Impecável. E assistir o filme em uma sala que dê uma potência as imagens é de extrema importância para que esta afirmação se comprove. Ademais, os efeitos especiais pedem isto.


Yates consegue manter a dinâmica apresentada no universo mágico, mas não foge das atrapalhadas que a escrita de Rowling sofreu aqui. Contudo, sabe bem como manipular o jogo da linguagem cinematográfica.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald é repleto de referências, deixa dúvidas, cria teorias, desaponta aqui e ali, e ali de novo e depois mais uma vez, mas merece ser visto pela grandiosidade que o projeto propõe. Ah, e, claro, pelos poucos momentos de JUDE LAW em cena - algo que deve se modificar nos próximos filmes.

Avaliação: Dois espelhos de jesed e setenta e cinco pedras filosofais (2,75/5)
15 de novembro nos Cinemas!

See Ya!

B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)