Distribuição: Paris Filmes

John Wick 3 - Parabellum


A última vez que vimos o temido e admirado  John Wick, personagem do ator Keanu Reeves, ele acabara de cometer um assassinato mais que necessário de um dos membros do clube ao qual ele também faz parte, após uma jornada intensa de perseguições e lutas. Na sequência, sua cabeça foi posta a prêmio e é exatamente dai que voltamos a acompanhar Wick em sua corrida contra o relógio da morte.

Titulado 'Parabellum', a terceira empreitada do matador nas telonas tem também a direção de Chad Stahelski e traz o quarteto Shay Hatten, Chris Collins, Derek Kolstad e Marc Abrams no roteiro. O elenco conta novamente com Ian Mcshane, Laurence Fishburne, Lance Reddick e Jason Mantzoukas e se fecha com as participações mais que especiais de Angelica Houston, Halle Berry e Jerome Flynn.


Trailer


Ficha Técnica


Título original e ano: John Wick: Chapter 3 - Parabellum, 2018. Direção: Chad Stahelski. Roteiro: Shay Hatten, Chris Collins, Derek Kolstad, Marc Abrams. Elenco: Keanu Reeves, Ian McShane, Angelica Houston, Halle Berry, Laurence Fishburn, Mark Decascos, Asia Kate Dillon, Randall Duk Kim, Jerome Flynn, Tiger Hu Chen, Jason Mantzoukas, Tobias Segal, Said Taghmaoui, Margaret Daly, Robin Lord Taylor e Susan Bloomaert. Gênero: Ação. Nacionalidade: EUA. Trilha Sonora Original: Tyler Bates e Joel J. Richard. Fotografia: Dan Laustsen. Edição: EvanSchiff. Figurino: Luca Mosca. Direção de Arte: Ian Bailie, Teddy Setiawan e Chris Shriver. Design de Produção: Kevin Kavanaugh. Distribuição: Paris Filmes. Duração: 2h10min.
Quando o relógio finalmente permite que assassinos do mundo inteiro possam caçar Wick (Reeves) para uma última luta, este sai em busca de ferramentas e aliados que possam tirá-lo dessa enrascada. Reencontra seu passado na organização russa liderada pela 'Diretora' (Houston) e de lá é levado até a intrépida Sofia (Berry) para achar respostas e se preparar para um caminho longo onde será perseguido e terá de defender não só o seu bem-estar como também o do parceiro de negócios Winston (McShane) e de Bowery King (Fishburn), o rei das ruas no lugar. Antes de todo o ocorrido, claro, deixa seu cachorro aos cuidados de Charon (Riddick) e é a partir do momento em que uma juíza (Dillon) chega a cidade para ter sua cabeça na mesa que Wick ganha um arsenal digno de sua fama.


O roteiro desta vez vem bem menos cômico, mas ainda assim conseguimos achar graça de uma cena ou outra. Há uma mudança drástica daquele tom 'trash' que os dois primeiros filmes apresentaram para um teor de mega produção. Parabellum se desenvolve em mais tempo de duração, mas é contido ao que vem tratar, o acerto de contas para Wick em relação aos atos que este cometeu e é o personagem McShane que deixa claro a John ao dizer que 'para querer paz, há de se preparar para  a guerra' - auto explicando o título do filme. Ah, e sim. Os diálogos voltam a enaltecer a trilogia Matrix, como já é visto no próprio trailer. 

Há um espaço muito maior aqui para personagens femininas aparecerem e elas são tão fortes e maravilhosas quanto o assassino. Aliás, diria que as cenas em que Halle e Angelica estão são algumas das melhores. Keanu vem do seu jeito e nos deixa feliz por novamente entregar uma trilogia tão eficaz nas telas quanto a que lhe proporcionou um sucesso extremo dirigida pelas irmãs Wachowski. Aliás, aqui ele reencontra em cena não só Laurence Fishburn como também Randall Duk Kim. Este último interpretou 'o chaveiro' em 'Matrix Reloaded. Contudo, é com Ian e Lance que Keanu tem maioria das cenas, a parte das que ele aparece mandando ver. A jornada de Wick permitiu ao ator fazer inúmeros takes incríveis como lutar cavalgando, andando de moto ou em lugares totalmente cercados por vidros e espelhos. E com todo este risco, ele sempre afirma que não deixa de dar espaço ao seu dublê para que não pare no hospital já que ele pode acabar indo parar no hospital se cair da forma errada.


A direção de Stahelski em Parabellum é muito mais séria e controlada. Seus takes estão mais bem produzidos e as cenas noturnas ou em espaços escuros vem em maior número para casar com os atos. Não esqueçamos claro das filmagens íncriveis que se dão no deserto onde os personagens de Keanu e Halle estão a procura de respostas.

O design de produção, direção de arte, figurino e fotografia acertam mais uma vez e nota-se a grandiosidade que o filme ganha aqui. Aliás, grande parte da equipe técnica dos filmes anteriores esta aqui novamente. Incluindo os compositores da trilha sonora Tyler Bates e Joel J. Richard.

Há uma clara deixa para outros filmes, contudo, se este for o último, é um encerramento digno e contagiante ao arco do protagonista e também dos antagosnistas. Afinal, a trama está amarradinha.


Avaliação: Três tiros certeiros e noventa cachorros espertos (3,90/5).

HOJE NOS CINEMAS


See Ya!

B-


Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)