Minha Lua De Mel Polonesa



A tela se abre e fotos antigas vão surgindo e nos situando cronologicamente de uma família desconhecida até chegarmos a um casal parisiense com ascendência judaico polonesa. 

A Atriz Judith Chemla vive Anna, jovem mãe de um bebê com pouquíssimos meses de vida, que exala um nítido comportamento neurótico e estressado. Demonstra ser também sistemática e ter uma grande fixação por seu passado e suas origens. Seu marido Adam é vivido pelo ator Arthur Igual. E o homem, por outro lado, tenta ser mais leve e vê muitas das situações que decorrem com humor e malemolência.

O sonho de Anna é ir à Polônia, aproveitando um convite que Adam recebeu para a comemoração de setenta anos da destruição da comunidade de nascimento de seu avô. Assim, os dois decidem deixar o bebê com os avós e partem para um fim de semana de aventura. Uma segunda lua de mel, mas que de romântica pouco tem!

Trailer

Ficha Técnica


Título original e ano: Luna de Miel, 2018. Direção e roteiro: Élise Otzenberger. Elenco: Judith Chemla,  Arthur Igual, Isabelle Candelier, Brigitte Roüan, Antoine Chappey, Gloria Manca, Symcha Keller, Evellyn Askolovitch, André Wilms. Nacionalidade: França. Gênero: Comédia. Direção de fotografia: Jordane Chouzenoux. Montagem: Pauline Dairou. Som: Matthieu Perrot. Figurino: Pauline Bertrand. Produção: Alice Girard. Distribuição: Pandora Filmes. Duração: 88 min. 

A Polônia, fria e chuvosa, como muitos dos países europeus, não é o lugar mais romântico e acolhedor do mundo, ainda assim, para Anna tudo por lá é lindo e perfeito. A mulher fica encantada e seu único desejo é encontrar sinais e indícios de seus ancestrais, mais precisamente de sua avó, para um dia poder contar ao seu filho de onde ele veio. Anna até fez questão de, seguindo a tradição judaica, fazer a circuncisão do pequeno.

Adam, no entanto, é mais realista e quer apenas passar alguns momentos com a esposa "sem uma bolinha chorando no meio". Anna procura uma conexão a qualquer custo - vemos isto em uma cena hilária em uma loja local com uma garota polonesa.

Pouco a pouco, ambos vão conhecendo a Polônia real e refletindo sobre suas origens. Também acabam percebendo como a tragédia ali  é explorada como "uma Disneylândia do Holocausto" e isto os leva a uma crise conjugal e de identidade.

'Será que é preciso ir tão longe para encontrar a si mesmo e suas raízes? A que mundo pertenço?'


Repentinamente a mãe de Anna, papel de Brigitte Roüan, chega ao pais levando consigo muitas respostas com o intuito de honrar a ancestralidade entendendo tudo que viveram e sofreram para assim fazer uma singela homenagem, mas também viver a vida atual e prezar o local que a acolheu. 

Acredita-se que esta é a mensagem mais forte da produção e que a sua maneira atinge o público e consegue ser simples e terna. O desfecho acaba por tornar a jornada ainda mais interessante.

Escrito e dirigido por Élise Otzenbergger 'Lune de Miel', título original, premiado do Festival de Moscou, chega aos cinemas nesta quinta (29) como parte do circuito Caixa de Pandora, parceria da rede Cinépolis com a Pandora Filmes.


Vale conferir!

Classificação indicativa: 12 anos

HOJE NOS CINEMAS

Escrito por Helen Nice

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)