Tsé, de Fábio Kow


Tsé, documentário de estreia do brasileiro Fábio Kow, narra a história de Tsecha Szpigel, judia polonesa sobrevivente do holocausto - e avó do diretor. 

Aparentemente, o ponto de partida para a realização do documentário é o fato de Tsecha (apelidada “Tsé”) ter sido uma sobrevivente do regime nazista. Tsé, ainda jovem, foi separada de seu pai e irmão. Ela e a mãe foram levadas para um trem junto a inúmeros outros judeus – mulheres e crianças – que seriam deixados em campos de extermínio. No vagão, sua mãe a convence e a ajuda a pular através de uma pequena janela, na esperança de salvar a filha do destino que já imaginava esperá-las. Assim começa sua jornada de fugas e disfarces em busca de sobrevivência. O nome “Tsecha Szpigel”, na verdade, não era seu desde o nascimento. No entanto, foi usado também como forma de sobreviver às inúmeras ameaças durante a invasão alemã. 

Apesar do mote e da notabilidade de sua história de sobrevivência, não se engane: não se trata de um documentário sobre o holocausto. Fábio Kow traz um ar saudoso, como uma homenagem à sua avó, tão importante em sua história e na memória de toda sua família. 


Através de depoimentos de familiares, fotografias antigas, ilustrações, cenas de filmes e imagens de arquivo, o documentário segue uma ordem bastante linear para contar a história da vida de Tsé, não apenas durante a Guerra, mas também depois de ter chegado ao Brasil, em 1949. Também fala sobre o casamento com seu grande amor, Zeide, as novas gerações de parentes, a jornada do casal polonês na construção de uma vida na nova nação que escolheram e, claro, filmagens amadoras que o diretor fez, ainda jovem, com cenas cotidianas de matriarca junto à família reunida. Além disso, Fábio Kow insere partes do processo de produção do documentário, tais como sua viagem em busca de conhecer as origens de Tsé e a tentativa de encontrar documentos dela e de sua família. Ademais, mostra ternura ao comentar suas entrevistas com a avó ao final da vida. 

O documentário soa bastante “familiar”, como se estivéssemos adentrando a história daquela família a partir da história de um membro importante dela. Além disso, fica muito clara que a relação afetiva de Fábio com sua avó é intensa, verdadeira, de muito amor e admiração. Seu saudosismo e carinho certamente conseguem causar certa comoção ao público e provocar lembranças de suas próprias histórias com avós e almoços apetitosos aos domingos.

Trailer


Ficha Técnica

Título original e ano: Tsé, 2019. Roteiro e Direção: Fábio Kow. Gênero: Documentário. Nacionalidade: .  Trilha Sonora: Daniel SzafranMontagem: Eduardo Resing e Valeria HidalgoSupervisão de Montagem: Yuri Amaral. Ilustrações: Leandro SpettProdução: Fábio Kow e Patrick Siaretta. Distribuição: Pagu Pictures. Duração: 01h24min.

HOJE NOS CINEMAS de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Palmas, Curitiba e Porto Alegre.


Escrito por Juliana Cristina

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)