Um Broto Legal, de Luiz Alberto Pereira


O Rock, palavra em inglês que tem origem no termo Rock'n'Roll, é uma vertente musical que tem suas raízes nos Estados Unidos na segunda metade do século XX. Combinando vários estilos musicais como jazz, country, folk, R&B, teve como inspiração principal a música advinda da cultura negra. 

Elvis Presley deu visibilidade ao novo estilo com seu visual rebelde e dança sensual. E logo surgiram outros nomes dando força ao movimento que se espalhou mundo afora. O ritmo já surgiu com uma conotação contestadora, o que chocava as gerações mais tradicionais. Mais que um gênero musical, o Rock tornou-se um estilo de vida.

O som contagiante chegou ao Brasil, em meados dos anos 60, e teve como figura marcante a jovem e singela cantora Celly Campello. A figura de Campello ganha destaque esta semana com a chegada do filme “Um Broto Legal” as salas de cinema. A produção narra o surgimento da artista, o desenvolvimento de sua carreira meteórica e o abandono da mesma. Com distribuição da Pandora Filmes, o drama musical de ficção é baseado em fatos.  A direção fica a cargo de Luiz Alberto Pereira, que também assina o roteiro ao lado de Dimas Oliveira Junior.

No elenco, Marianna Alexandre vive Celly Campello e Murilo Armacollo dá vida a Sérgio Campello. Aparecem também, Paulo Goulart Filho, Petrônio Gontijo, Martha Meola, entre outros.

Trailer


Ficha Técnica
Título original e ano: Um Broto Legal, 2022. Direção: Luiz Alberto Pereira. Roteiro: Luiz Alberto Pereira e Dimas Oliveira Jr. Elenco: Marianna Alexandre, Murilo Armacollo, Danillo Franccesco, Paulo Goulart Filho, Martha Meola, Petrônio Gontijo, Felipe Folgosi, Claudio Fontana, Carlos Meceni. Gênero: Drama, Musical, Biografia. Nacionalidade: Brasil. Direção de Fotografia: Uli Burtin, ABC. Direção de Arte: Glauce Queiroz. Montagem: Jr Carone. Produção:  Ronald Kashima, Diana Landgraf Pereira, Luiz Alberto Pereira. Distribuição: Pandora Filmes. Duração: 94 min.
Nascida Célia Benelli Campello, filha de família tradicional da cidade de Taubaté, interior de São Paulo, desde a mais tenra idade já demonstrava talento e um imenso amor pela música. Aos 16 anos, Célia se contentava em ter um programa na Rádio Difusora de Taubaté, onde também cantava e demonstrava sua voz melodiosa. Mas os planos eram estudar e constituir família, como boa moça.

Seu irmão mais velho, Sérgio Benelli Campello, cultivava um topete ao estilo rebelde da época e tocava em uma banda local que chocava os frequentadores do Taubaté Country Club com seus ritmos “indecentes”. Os pais, então, decidiram mandá-lo para São Paulo, onde iria trabalhar em uma repartição e se tornar um rapaz “normal” e respeitador. Mal sabiam eles que estavam dando asas à sua vontade de ser um astro do Rock e levar junto sua inocente irmãzinha. Assim surgiram: Tony Campello e Celly Campello.


O filme narra em detalhes a carreira dos jovens astros, entregando todo clima de uma época em que cenários e figurinos já eram muito bem produzidos. O público será transportado para os anos 60 e viverá o auge de uma época de ouro em nossa discografia. As canções são contagiantes e inesquecíveis. Desde a primeira canção “Estúpido Cupido” em 1959, vamos acompanhar toda carreira de Celly, considerada a pioneira do movimento musical do Rock no Brasil. Entretanto, juntamente com o sucesso também vieram as angústias e questionamentos da família e da relação com o único namorado que teve. Em 1962, a jovem cantora que já era conhecida do grande público toma a difícil decisão de abandonar a carreira para se casar. Afinal, estávamos nos anos 60 e a família tradicional cobrava suas regras e atitudes. Não era fácil para uma mulher fugir do roteiro pré-estipulado.

Como um tributo a estes dois jovens que abriram caminho para o que temos hoje na indústria musical brasileira, a produção traz o panorama do trabalho no setor artístico e também revela a vida da época e a pouca liberdade de escolha que, principalmente, as mulheres possuíam. E, desta forma, aborda um pouco da carreira curta, mas extremamente significativa que Celly Campelo teve.

Uma homenagem mais que merecida. Não deixe de assistir!!

HOJE NOS CINEMAS

Escrito por Helen Nice

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)