Distribuição: Paris Filmes

O Presente


Joel Edgerton é roteirista, diretor e um dos protagonistas do longa 'O Presente', suspense interessante que chega aos cinemas esta semana. O australiano boa pinta, que talvez você tenha ouvido falar e com certeza já viu alguns de seus filmes, possui uma filmografia que se destaca. Ele esteve em cartaz, semanas atrás, no excelente "Aliança do Crime'' com Johnny Depp. Em 2013, participou do remake de 'O Grande Gatsby' e também atuou em 'Guerreiro' ao lado do sempre ótimo Tom Hardy. Recentemente, Joel aparece listado entre os atores 'Time A' de Hollywood pela revista The Hollywood Reporter, onde revela um pouco de suas artimanhas no showbiz. Seu primeiro trabalho como condutor de uma película foi tão bem recebido lá fora que arrecadou seu orçamento de produção e muitos outros milhões.
Sinopse:
Simon (Jason Bateman) e Robyn (Rebecca Hall) casaram há pouco tempo e estão muito felizes até o dia em que ele reencontra Gordo (Joel Edgerton), um colega de escola. Um segredo do passado dos dois vem à tona e Robyn se sente cada vez mais insegura perto do companheiro.

'O Presente' é misterioso em todo o seu caminhar e entrega, aos poucos, detalhes do passado de Simon (Bateman). Ele que outrora fora um aluno super popular na escola e agora leva uma vida cheia de responsabilidades ao lado da esposa, vivida pela majestosa Rebeca Hall. O reencontro de Simon com Gordo (Joel Edgerton), o antigo colega de escola, soa um tanto quanto estranho. E quando este começa a visitar o amigo e sua esposa, diariamente, pulgas começam a pular atrás da orelha do espectador. Há uma concepção pesada, até mais ou menos metade do filme, de que Simon tenha bom caráter e Gordo não. Contudo, em certo ponto do longa, uma reviravolta bem estruturada nos faz ver a situação e os personagens com outros olhos.



O enredo é realmente hiper, mega, blaster surpreendente. O fator principal disto se deve a como 'o emprego equivocado de uma idéia', na mente de alguém, pode levar o futuro de outrem a ser totalmente diferente do que se esperava. E o longa consegue transmitir uma ótima concepção do que pode ser uma 'troca de papeis'. Onde em um plano você é o causador de uma ação e no outro você sofre com a ação de outro participante do jogo. Talvez até caia no jogo da vingança, mas a mensagem do filme se mostra mais complexa e contundente que isto.

A construção dos três personagens principais é muito bem feita. E ambos os atores entregam boas performances. Bateman, inclusive, sai da comédia e joga bem neste cenário mais dramático. Edgerton te faz sentir calafrios (e muitos outros sentimentos) e Rebeca. Bem, é sempre bom vê-la atuando, pois ela se doa de forma inigualável.

A condução de Edgerton debuta ângulos intimos e dosa bem o ritmo do suspense. Seus espaços são bem aproveitados e percebe-se que os personagens de Bateman e Hall estão ali para reagirem ao seu toque de caos. Aliás, relatam por ai que ele filmou todas suas cenas primeiro para que pudesse então colocar os outros atores no ponto focal certo. E a tática parece ter funcionado.

Trilha Sonora, fotografia, montagem e edição completam o pacote e fecham o placar do jogo muito bem. 



Ficha Técnica: The Gift, 2015. Roteiro e Direção: Joel Edgerton. Elenco: Jason Bateman, Rebeca Hall, Joel Edgerton, Busy Philipps. Fotografia: Eduard Grau.Trilha Sonora Original: Danny Bensi e Saunder Jurriaans. Edição: Luke  Doolan. Gênero: Drama, Suspense. Nacionalidade: EUA. Distribuidor: Playarte Pictures. Duração: 01h48min.
Trailer



Avaliação: Três caras de surpresa e meio grupo de pessoas traumatizadas. (3,5/5 - Bom)


03 de Dezembro, nos cinemas!


See Ya!
B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)