Podres de Ricos


A produção 'Podres de Ricos' tinha tudo para ser uma representação equivocada de um mundo asiático onde luxo e dinheiro se comem no café da manhã, no almoço e no jantar. Isto porque Hollywood nem sempre sabe orquestrar retratações de culturas que não são a sua muito vem. Todavia, o filme é uma maravilhosa surpresa e encanta pela mensagem positiva que quer passar.

Dirigido por Jon M. Chu (Truque de Mestre 2: O Seundo Ato) e adaptado do livro homônimo de Kevin Kwan, 'Crazy Rich Asians' (título original do longa) nos leva a um romance improvável, mas não impossível, entre uma professora de economia norte-americana, com descendência asiática, e um jovem riquíssimo de Singapura que está nos Estados Unidos se capacitando.

O filme tem em seu elenco o divertido ator Ken Jeong (da trilogia 'Se Beber Não Case', da série Community e etc), a atriz Michelle Yeoh (O Tigre e o Dragão) e também Awkwafina (Oito Mulheres e Outro Segredo). O casal de protagonistas é vivido por Constance Wu e Henry Golding.

Trailer



Na trama, a jovem Rachel Chu (Wu) leciona economia na Universidade de Nova York e tem aulas adoradas por seus alunos. O namorado, o gatão Nick (Golding), inclusive, ama dar um pulo por lá e conferir o trabalho dela. Um belo dia, o moço está conversando com Rachel em um café quando decide a convidar para ir ao casamento de seu primo Colin (Chris Pang) com Araminta (Sonoya Mizuno), em sua terra natal, Singapura. O rapaz só não avisa a professora que a família dele é riquíssima e altamente controladora da vida de todos no clã.

A ida de Rachel ao casamento se torna verdade e todos ficam curiosíssimos para conhecê-la. Exceto, obviamente, pela mãe de Nick, Eleanor (Yeoh) e todas as outras mulheres do país que cobiçam o herdeiro do império Young. Em Singapura, a adorável professora encontra ainda a ex-colega de quarto Peik Lin Goh (Awkwafina) e conhece a sua exótica família. Entre eles, o pai da moça (Ken Jeon). 

Durante as festividades, Rachel é apresentada grande parte da família poderosa do namorado. A irmã Felicity (Janice Koh), a avó (Lisa Lu) e também os primos. São eles o hilário Bernard (Jimmy O. Yang), o sabe tudo de moda Oliver (Nico Santos), o metódico e falastrão Eddie (Ronny Chieng) e também a elegante Astrid (Gemma Chan). Mas é a mãe de Nick, Eleanor que em poucos minutos já diz que não quer a moça na família.

Eleanor (Yeoh), Nick (Golding) e Rachel (Wu)

A produção entrega uma comédia romântica muito adaptada ao ambiente onde se passa - as filmagens foram feitas na Malásia, mas o palco central da trama é em Singapura. Há um bom jogo de cintura para englobar a Ásia como um todo e trazer representatividade. Além disso, como os personagens são ricos, muitos vivem a viajar para a China ou moram em outras capitais como Hong Kong. 

O idioma que mais ouvimos é sim o inglês, que pra quem não sabe é usado como uma das línguas oficiais no país, porém aqui e ali ouvimos mandarim, cantonês ou o dialeto hokien. As tradições são inseridas aqui e ali e refletem a cultura como uma homenagem e não como zoação basta reparar no cuidado que eles tem com os mais velhos, na proteção dos pais com os filhos e até o Mahjong, jogo chinês famoso, entra na roda para complementar a história e se faz essencial para uma cena dos atos finais do filme - que aliás não está no livro. Falando da obra de Kevin Kwan, a trilogia é um bestseller muito aclamado e sofre alterações cinematográficas que não destroem a essência da história - segundo o próprio autor. 

Algo muito legal do longa é que ele traz personagens universais, não importando assim a origem ou a nacionalidade deles, e mesmo que eles sejam engraçados isso não soa como redutivo. Pelo contrário, os tornam globais e pau para toda obra. É legal falar a respeito, pois tanto no Brasil como na Alemanha, a tradução do título da película perdeu o termo que informa o continente a qual pertencem os personagens e houve crítica pesada quanto a escolha das distribuidoras em o fazer, porém, esta ideia de universalidade possa justificar o ato.



A filmografia de Jon M. Chu é diversificada e trabalha um olhar contemporâneo em seus projetos. Como o roteiro de Adele e Peter é cheio de camadas, mas simples, ele aplica tudo o que pode em tomadas abertas e planos longos. Fora isso, consegue mostrar a enorme riqueza da família e também se empenha em mostrar detalhes íntimos para destacar suas imperfeições.

Aliás, vemos ali mulheres de poder que são traídas, outras que fazem de tudo para agradar a matriarca dos Young, e ainda as que estão entrando em novos desafios. Do lado dos homens, Nick é o mais seguro e correto, o resto esbanja tudo o que pode para mostrar o status de rico. Oliver, o primo gay e que de cara fica amigo de Rachel, é um dos mais divertidos. A família maluca de Peik Lin também consegue encantar. 

O colorido de Podres de Ricos vai além de um mundo nobre e cheio de opções mostra tons que engrandecem uma cultura riquíssima e a fotografia é sagaz nisso. A trilha sonora é animadíssima (ouvir aqui), traz um tom de bossa, lindas interpretações de ''Can't Help Falling in Love With You'' e ouvimos ainda versões orientais para a canção clássica da diva Madonna ''Material Girl''  (escute aqui) e também a romântica ''Yellow'' da banda britânica Coldplay (ouvir aqui).

Ah, e como o livro de Kwan é uma trilogia o filme também será. A sequência deste aqui já está confirmada.



Ficha Técnica.
Titulo original: Crazy Rich Asians, 2018Direção: Jon M. Wu. Roteiro:Peter Chiarelli e Adele Lim - adaptado do livro homônimo de Kevin Kwan, lançado em 2013. Elenco: Constance Wu, Henry Golding, Ken Jeong, Michelle Yeoh, Gemma Chan, Lisa Lu, Awkwafina, Harry Shum Jr,  Ken Jeong, Sonoya Mizuno, Chirs Pang,  Jimmy O. Yang, Ronny Chieng, Remy Hii, Nico Santos, Jing Lusi, Victoria Loke e Jnice Koh. Gênero: Comédia, Romance. Design de produção: Nelson COates. Trilha Sonora: Brian Tyler.  Fotografia: Vanja Cernjul. Figurino: Mary E. Vogt. Edição: Myron Kerstein. Distribuidor: WARNER BROS. Nacionalidade: Estados Unidos. Duração: 02h01min.

A produção chega aos cinemas brasileiros hoje e promete divertir bastante o público. Programa leve e impedível!

Avaliação: Três anéis de esmeralda e meio olhar encantado (3,5/5).

25 de outubro nos cinemas!

See Ya!

B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)