Mamma Mia! Lá Vamos Nós De Novo



Dez anos atrás, chegava as telas dos cinemas ‘Mamma Mia!’, trama onde a jovem Sophie, personagem vivida pela atriz Amanda Seyfried, tentava encontrar seu verdadeiro pai, após encontrar um diário perdido da mãe, papel de Meryl Streep, que indicava a possibilidade da paternidade ser de algum dos três rapazes com quem tivera um romance de verão. Todo o contexto da trama era embalado pelas canções pops do grupo musical sueco ABBA na voz dos próprios personagens.
Leve, engraçado, sem muitas intenções e repleto de atores renomados, a produção chegou a ser a nomeada a vinte e três prêmios, dois desses, aliás, em categorias do Globo de Ouro e uma para o irônico ‘Framboesa de Ouro’. Com todo o sucesso e atenção que o longa ganhou os idealizadores resolveram o dar uma continuação e esta chega agora aos cinemas.
Catherine Johnson, responsável pelo musical fora das telas, e roteirista do filme segue presente, mas a direção, que fora de Phyllida Lloyd, passou para as mãos de Ol Parker (O Exótico Hotel Marigold) na nova empreitada.
O elenco protagonista está todo de volta, Amanda Seyfried, Domic Cooper, Julie Walters, Stellan Skarsgard, Pierce Brosnan, Colin Firth, Christine Baranski. Meryl Streep, contudo, faz uma pequena participação, e não estrela o filme devido a nova caminhada da personagem, por assim dizer. Adentram este time: Cher, Lily James, Jeremy Irvine, Josh Dylan, Hugh Skinner, Jessica Keenan Wynn, Alexa Davie e Andy Garcia.
Trailer


Em ‘Mamma Mia’ (2008), começamos a acompanhar a jornada de Sophie para encontrar seu pai enviando cartas à eles. Aqui, temos um inicio similar. E as cartas também se destinam aos pais da moça. Afinal, eles três decidiram ter este papel. Sam (Brosnan) é único que não necessita da correspondência, pois se casou com Donna (Streep) e fez moradia na ilha grega Kalokairi. Outra cena similar em ‘Lá Vamos Nós de Novo’ é a chegada das amigas de Donna a ilha paradisíaca, Rosie (Walters) e Tanya (Baranski).


A vinda de Rosie e Tonya se deve a nova retomada que Sophie deu ao hotel da mãe e quer todos presentes para a reinauguração. Com o amor de sua vida (Cooper) longe para estudos em hotelaria, a filha de Donna não vê a hora de revê-lo e ter seu apoio. O reencontro das três também serve para que as memórias do passado voltem e todas as aventuras da jovem Donna (Lily James) sejam revisitadas. Inclusive, o encontro com os jovens Harry (Skinner), Bill (Dylan) e Sam (Irvine).
Obviamente tudo ao som empolgante criado pelo grupo ABBA.


Ol Parker não só entra para a direção como também é colaborador nas escritas do roteiro em parceria com Richard Curtis e Catherine Johnson. E a união constrói uma boa jornada para estes animados personagens.
Ao voltarmos ao passado de Donna, a vemos totalmente livre e sem medo de ser considerada qualquer coisa que não ‘uma pessoa feliz e de bem com a vida’. A moça e as amigas já faziam as performances na faculdade e divertiam todos ao redor delas.


A produção consegue trazer muita diversão, mas além disso, celebra mais uma vez o amor, a amizade e a maternidade com delicadeza e sem sair do tom. Vemos os laços familiares de Sophie com os pais estabelecidos e tão forte quanto da última vez que o vimos. Sua caminhada como mulher a reconecta com a mãe e também a faz refletir sobre toda a história de Donna e a sua própria.

Temos cenas emocionantes entre Streep e Seyfried ao fim do terceiro ato

A chegada de novos personagens como a avó (Cher) egocêntrica há muito sumida e a inserção do misterioso ‘Señor Cienfuegos’, vivido por Andy Garcia, dão um novo ar ‘caliente’ e chic ao enredo e ambos os atores estão ótimos.



A chegada de Cher parece um número de um show seu em Las Vegas

Os atores que vivem os personagens mais jovens fazem sua parte tão bem que é um primor vê-los em cena. Lilly consegue ser tão maravilhosa quanto Streep, Jessica se faz de ‘rainha da conquista’ tão bem quanto Baranski e Alexa é quase uma irmã gêmea de Julie em cena. E os gatões Jeremy, Hugh e Josh também se fazem valer. Cria-se ainda espaço para alguns alivios cômicos, como o ‘agente de imigração’ vivido pelo ator Omid Djalili e o casal de apaixonados Alexio ( Gerard Monaco) e Appolonia (Anna Antoniades).
Como continuação que brinca com o passado de personagens já vistos antes, há aqui e ali alguns erros factuais , de continuidade e etc — aqui sabemos que as amigas de Donna já conheciam os rapazes e isto não ficou tão subentendido no primeiro longa. Mas nada disso atrapalha o bom caminhar do filme.
Ah, e temos cameo de Björn Ulvaeus e Benny Andersson, membros do Abba e compositores das canções. Sobre a trilha(escute aqui), há repetição de algumas músicas do longa anterior, claro, e acrescentam-se as ritmadas “Angel Eyes,” “When I Kissed The Teacher,” e “I Wonder (Departure).


Ficha Técnica: Mamma Mia! Here We Go AGain, 2018. Direção: Ol Parker. Roteiro: Ol Parker . Argumentos de Richard Curtis,Ol Parker, Catherine Johnson. Realizado por Judy Craymer e baseado no musical criado por Catherine Johnson. Elenco: Amanda Seyfried, Julie Walters, Christine Baranski, Lily James, Dominic Cooper, Colin Firth, Jeremy Irvine, Andy Garcia, Celia Imrie, Alexa Davies, Jessica Keenan Wynn, Hugh Skinner. Pierce Brosnan, Omid Djalili, Josh Dylan, Gerard Monaco, Stellan Skarsgård, Cher e Meryl Streep . Gênero: Musical, comédia. Distribuidora: Universal Pictures do Brasil. Nacionalidade: Eua. Trilha Sonora: Anne Dudley. Músicas por: Björn Ulvaeus e Benny Andersson. Edição: Peter Lambert.Fotografia: Robert D. Yeoman. Figurino: Michele Clapton. Duração: 01h54min.

Diversão garantida aos sensíveis e amantes de musicais.
Não recomendado para menores de 10 anos
Avaliação: Três músicas dançantes (3/5).
02 de agosto nos cinemas!
See Ya!


B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)