Distribuição: Paris Filmes

Shazam! (3D)


Muitos adolescentes por ai sonham em se tornar um super-herói ou uma super-heroína. Mas este nunca foi o caso de Billy Batson (Asher Angel), um menino de quatorze anos que fora abandonado pela mãe quando era criança. Vivendo anos e anos em lares adotivos, na verdade, Billy só pensava em uma coisa: se manter a salvo e reencontrar sua progenitora.

Contudo, um belo e estranho dia, logo após ir morar com uma nova e acalorada família, ele conhece um mago (Djimon Houson) e este o dá poderes inimagináveis que vem a tona assim que Billy pronuncia a palavra ''Shazam!''. Neste momento inusitado o jovem também se transforma em um adulto trajando um uniforme vermelho com adornos dourados (Zachary Levi) - algo que seria incrível para muitos e que o inocente Billy só começa a entender com a ajuda do irmão adotivo Freddy (Jack Dylan Grazer), que é um aficcionado por quadrinhos. Aliás, a nova família de Billy, Rosa (Marta Milans) e Victor Vasquez (Cooper Andrews), os pais, Mary (Grace Fulton), Darla (Faithe Herman), Eugene (Ian Chen) e  Pedro (Jovan Armand), os outros irmãos, super acolhem o garoto, mas este demora a se entrosar.

Todavia, Billy terá que se reconhecer como herói para poder aprender a controlar o que lhe foi dado e lutar contra o vilão Thaddeus Sivana (Mark Strong), um homem sem escrúpulos que pretende roubar os poderes de Billy para si.




A adaptação para as telas do personagem criado pelo roteirista Bill Parker e pelo desenhista C.C. Beck, lá em 1939, é assinada por Henry Gayden e Darren Lemke e vem com algumas alterações, mas conquista plenamente seu espaço e é um dos filmes mais divertido que a DC Comics já produziu. Shazam, que anteriormente era conhecido como 'Capitão Marvel', oficialmente é chamado assim desde sua reintrodução nos anos setenta e que em 2011 se fortaleceu com o relançamento do editorial da DC 'Os Novos 52'. Ademais, como o nome do herói convergia com outro e justamente o que homenageia a Marvel Comics, a visibilidade dele seria melhor se não houvesse ninguém semelhante. 

Bem, aqui temos um filme simples que apresenta os arcos dos antagonistas e dos protagonistas e trabalha um enredo a partir dos conflitos ocorrido na vida de ambos. Há deixas bem óbvias e que funcionam mais para quem conhece a história dos quadrinhos, ainda assim, há também uma jornada focada em prender a atenção do espectador e não deixá-lo sem perceber os pequenos detalhes da trama. 

O filme também esta repleto de referências cinematográficas de cenas memoráveis que vimos no passado. Entre elas, ''Rocky'' com Sylvester Stallone (a trama se passa na Filadélfia, cenário também de Rocky) e ''Quero Ser Grande'' com Tom Hanks (ao entrar em uma loja de brinqedos Shazam e Sivana pisam em um piano gigante como no longa com Hanks) ou ainda em filmes da nova era de heróis como "Homem-Formiga'' e até o ''Homem-Aranha'' de Sam Raimi. O universo DC também aparecem aqui e ali entre os takes - brinquedos e action figures do Batman, Aquaman e posteres de Diana Prince.

Trailer


O tom cômico da produção é super bem trabalhado e não soa nem exagerado e nem forçado - algo que é difícil de ser visto nos filmes da DC. No entanto, nos longas 'Mulher Maravilha e Aquaman' ela conseguiu desenvolver este lado sem desanimar o público.

Há sim um sabor mais infantil para a trama, contudo, isto casa com os dramas vividos pela faixa-etária do personagem e as vivências que ele precisa experimentar em sua jornada até iniciar seu amadurecimento e olhar 'o ganho' que teve com outros olhos.


Shazam (Levi) passa a experimentar seus poderes com a ajuda do irmão adotivo Freddy (Jack Dylan Grazer) e os dois se divertem.

O drama que o espectador recebe aqui (questões sobre abandono familiar e até bullying escolar) vem de forma gradual e não desvia a atenção do ponto central que é entregar um herói contemporâneo, jovem e #zuerasemfim. 

Aliás, a nova família de Billy ganha muito destaque ao caminhar do segundo ato e são primordiais para o ato final, principalmente, os irmãos. Se prepare para se apaixonar pela pequena atriz Faithe Herman e se encantar com o grupo diverso que temos em cena para ajudar a combater o vilão Sivana.

Mark Strong aparece aqui como o poderoso Sivana

Outras atuações que convencem, claro, são do teen Jack Dylan Grazer, o sempre necessário Mark Strong - que nos embarca em um personagem com motivações clássicas e não faz feio - e claro o nosso muso da vez, o simpático Zachary Levi. Este último exclui imediatamente qualquer expectativa negativa que se cria com o trailer e arranca suspiros com seu traje vintage de super-herói (se atente a todos os poderes que ele recebe e perceba o porquê da roupa, ademais também exibe um retrato fiel do que vemos ao folhear as HQs). Djimon Houson tem uma participação pequena, porém com grande efeito.  O filme também entrega surpresas maravilhosas acerca dos atores que interpretam os irmãos do herói lá mais pro ato final e há uma readequação que cai muito bem. Ademais, para quem assistia ''Smallville - As Aventuras do Super Boy'', vai reconhecer de cara o ator John Glover que também faz uma pontinha aqui.


Ficha Técnica

Título original: Shazam!, 2019. Direção: David F. Sandberg. Roteiro: Henry Gayden e Darren Lemke - baseado nos personagens criados por Bill Parker e C.C Beck. Elenco: Zachary Levi, Jack Dylan Glazer, Marta Milans, Cooper Andrews, Djimon houson, Mark Strong, Carolina Parker, Faithe Herman, Ian Chen, Jovan Armand. Gênero: Aventura, ação. Nacionalidade: Eua. Fotografia: Maxime Alexandre. Trilha Sonora: Benjamin Wallfisch. Edição: Michel Aller. Figurino: Leah Butler. Design de Produção: Jennifer Spence. Efeitos Especiais: Brad Zehr, Cameron Waldbauer. Distribuição: Warner Bros Pictures. Duração: 02h12min.

Os aspectos técnicos do filme estão acima do esperado aqui. Direção dinâmica, sem rodeios e, ainda que explicativa, não deixa a peteca cair. David F. Sandberg tem um currículo diverso já trabalhou como editor, diretor de fotografia, escritor e dirigiu não só series como filmes de terror e aqui se mostra  afim de testar outras áreas. 

A trilha sonora não joga uma temática forte na tela, mas há uma escolha de canções que casam com o filme - aos créditos ouvimos ''I Don't Want To Grow Up'' da banda Ramones. Queen também toca em algum ato, mas esta já destoa de um tom mais jovem.

Shazam! tem na certa uma edição poderosa já que passa das duas horas e nem se sente. Ambientação, figurino e design da produção inteira são bem conceituados e o resultado final é mesmo o bom entretenimento pipoca. 


Há duas cenas pós créditos. Uma delas até fala um pouco da comparação que o herói tem com outro personagem da DC e outra já diz a respeito de um possível vilão para as próximas aventuras, aliás, este dá as caras sorrateiramente e só quem já o conhece vai perceber.

Ps: o 3D pode ser desconsiderado, pois não há nada nas cenas que interaja bem com ele. 

Avaliação: Três batmarangues e oitenta raios certeiros (3,80/5)

Provavelmente a diversão que você não esperava que iria ter, vai achar aqui. Então corra e assista.

HOJE NOS CINEMAS

See ya!
b-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)