Aos Nossos Filhos, de Maria Medeiros


A adaptação da peça teatral de Laura Castro (atriz, cantora, dramaturga, roteirista, produtora cultural e ativista feminista e na causa LGBTQI+), que esteve em cartaz por três anos no Brasil e também em Portugal, chega nesta quinta-feira (28) aos cinemas.

Aos Nossos Filhos” tem direção de Maria Medeiros, que divide o roteiro com Castro, também interpreta uma das protagonistas. Na trama, temos Tânia (Laura Castro), uma advogada ambiciosa e empenhada em seu objetivo de passar no concurso público para se tornar juíza. Tânia vive uma relação homoafetiva de longa data com Vanessa (Marta Nóbrega), uma executiva de uma grande agência de publicidade.

Ambas estão decididas a levar adiante a ideia de serem mães e para isso estão encarando um desgastante processo de reprodução assistida, onde Vanessa se submete a tratamento hormonal e inseminação com esperma adquirido em um banco estrangeiro. Os sucessivos abortos estão abalando a relação. O fator financeiro também pesa em todo processo e Tânia decide recorrer à sua mãe, Vera (Marieta Severo), com quem não fala há anos. A principal questão levantada aqui é a obsessão de Tânia pela maternidade e sua relação conflituosa com a própria mãe. Duas mulheres que se amam, mas têm diferentes vivências, olhares e opiniões sobre o mundo.


Vera vem de um passado de lutas contra a ditadura no Brasil. Foi presa, torturada e exilada, guardando traumas não digeridos. Separada de Fernando (José de Abreu), pai de Tânia, após tantos anos em um casamento tradicional, Vera vive um momento de imensa fragilidade. Os pesadelos externam suas inseguranças e medos. Fernando, por sua vez, tem uma relação muito amorosa com a filha e dá todo apoio ao relacionamento e sonhos de maternidade.

O que lhe dá sentido à vida é a coordenação da Ong Positivida, que dá apoio à crianças e jovens soropositivas em uma comunidade no Rio. O dia a dia de dificuldades na adoção destas crianças estigmatizadas pelo preconceito é sua maneira de seguir sua luta.

Um dos garotos, Caique (Andrei Cardoso) está neste processo de adaptação à família adotante e Vera o ampara no delicado processo. Entretanto, Vera cai em contradição ao afirmar que “faz revolução onde pode”, enquanto ainda mantém uma visão rígida e antiquada sobre "família'', acreditando que uma criança poderá ser feliz se seguir os moldes da “família tradicional”.

Essa postura rígida leva a um constante embate com a filha homossexual, pois para ela é impensável duas mulheres optarem por gerar um bebê com métodos artificiais, enquanto há tantas crianças esperando por um lar. É contradição sobre contradição!!

Toda essa problemática será exacerbada com a chegada de Sérgio (Cláudio Lins), jornalista e filho de uma antiga amiga dos tempos de lutas. Sérgio está fazendo uma pesquisa sobre a vida de sua mãe e precisa da ajuda de Vera. O passado mal trabalhado virá à tona em uma ebulição de sentimentos e dores.

Trailer


Ficha Técnica
Título original e ano: Aos Nossos Filhos, 2021. Direção: Maria Medeiros. Roteiro: Laura Castro e Maria Medeiros. Elenco: Marieta Severo, Laura Castro, Marta Nóbrega, Aldri Anunciação, Ricardo Pereira, Jose de Abreu, Cláudio Lins. Gênero: Drama. Nacionalidade: Brasil. Som: Pedro Earp. Fotografia: Edgar Moura. Figurino: Renata Russo. Direção de Arte: Ana Paula Cardoso. Produção: Paula Cosenza, Denise Gomes, Laura Castro, Marta Nóbrega. Produção Executiva: Gisela Camara. Coprodução: Globo Filmes e Canal Brasil. Distribuição: Imovision. Duração: 01h47min.
 
O filme além de mostrar a dualidade mãe/filha, de gerações e temperamentos distintos, também aborda temas como preconceito, discriminação, experiências traumáticas e suas consequências psicológicas, adoção e métodos de reprodução, modelos de família. São muitos temas polêmicos, delicados e complexos, que devem ser abordados e debatidos sempre. Mas que são de tamanha profundidade que não se encerram ao subir dos créditos.

Marieta Severo entrega uma personagem profunda, densa, que embora procure demonstrar força e convicções inabaláveis, guarda em seu íntimo traumas profundos que foram silenciados por toda uma vida. Seu discurso é marcado por condicionamentos arraigados.

Na trilha sonora temos, entre outras, canções como “Aos Nossos Filhos”, de Ivan Lins, “Tanta Força” do álbum “Golpe no tempo”, de Laura Castro.

Vale conferir!!

Hoje Nos Cinemas 

Escrito por Helen Nice

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)