Clifford : O Gigante Cão Vermelho


Clifford sem dúvidas não é um quebrador de padrões ou um longa revolucionário, é um filme que visa simples e puramente cativar e divertir seu público, transportando para as telas de cinema a mesma química que nos é apresentada nos livros infantis, escritos por Norman Bridwell, que inspiraram a produção desse maravilhoso longa metragem (veja aqui).

A trama se passa na ilha de Manhattan, e não demora para nos apresentar a quem serão os protagonistas da obra o nosso pequeno e doce cão vermelho e àquela que será sua dona Emily Elizabeth, sendo ambos figuras deslocadas Emily por ser uma bolsista em uma instituição privada e Clifford que acaba vagando pelas ruas da cidade solitário por ser vermelho e pequeno de mais.

Sua mãe (Siena Guillory) se vê obrigada a viajar a trabalho, e a a única pessoa disponível para cuidar de sua filha é seu irresponsável e querido irmão Casey (Jack Whitehall), personagem que rouba a cena com suas trapalhadas ao decorrer da produção, ganhando destaque em discurso comovente no último ato do longa.


O enredo avança em um ritmo perfeito e sem a necessidade de explicar o que ocorre em cena o tempo todo, afinal mesmo que o público alvo sejam os pequenos isso não é motivo para tratá-los como acéfalos. Isto porquê roteiros que tendem a explicar tudo que ocorre em cena se tornam maçantes.

Claro que toda essa magia é feita graças aos roteiristas Jay Scherick, David Ronn, Justin Malen, Ellen Rapoport e Blaise Hemingway que contam a história de uma forma que estranhamente é mais crível que a realidade, e com sua linha de pensamento clara de um mundo que se divide entre os mocinhos e os vilões ainda conseguem classificar os primeiros como heróis de suas próprias histórias e trabalhem com motivações um tanto quanto nobres.

Quando Emily e Casey decide visitar uma exposição orquestrada por um indivíduo de índole duvidosa e de certa forma místico chamado Sr. Birdwell (John Cleese), eles se deparam com um estranho e minúsculo cão, de pelagem avermelhada que não demoraria para mudarem suas vidas em todos os sentidos, conhecidos e desconhecidos. O evento, aliás, apresenta animais exóticos, contendo desde hienas disfarçadas de girafas a macacos massageadores.


Falando dos antagonistas, como o ego-maníaco CEO (Tony Hale), que embora sua empresa seja mais ou menos dedicada a tornar a vida melhor por meio da ciência. Ele é o típico vilão de filmes infantis, e graças ao carisma de Tony Hale bad guy desta história, se torna parte do alívio cômico.

Clifford: O Gigante Cão Vermelho tem direção de Walt Becker (Alvin e os Esquilos: Na Estrada, de 2015) e é uma produção que certamente agradará jovens e adultos, pois é incrivelmente divertida e não tenta ser nada mais do realmente é, um filme para toda a família repleto de piadas e bons alívios cômicos. Diversão garantida por quase uma hora e meia com a presença de um elenco no ponto. 

Tudo que nos resta é aguardar sua sequência.

Trailer

Ficha Técnica

Título original e ano: Clifford, 2021. Direção: Walt Becker. RoteiroJay Scherick, David Ronn, Justin Malen, Ellen Rapoport, e Blaise Hemingway - adaptação dos livros de Norman Birdwell. Elenco: Tony Hale, John Cleese, Darby Camp, Jack Whitehall, Izaac Wang, Sienna Guillory, David Alan Grier. Gênero: Aventura, Família. Nacionalidade: EUA. Trilha Sonora Original: John Debney. Fotografia: Peter Lyons Collister. Edição: Sabrina Plisco. Distribuição: Paramount Picutres Brasil. Duração: 01h36min. 


EM CARTAZ

Escrito por Léo Souza

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)