Distribuição: Paris Filmes

Temporada, de André Novais Oliveira



Vencedor da Mostra Competitiva no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro nas categorias de Melhor Filme, Melhor Atriz (Grace Passô), Melhor Ator Coadjuvante (Russo APR), Melhor Direção de Arte (Diogo Hayashi) e Melhor Fotografia (Wilsa Esser), Temporada, de André Novais de Oliveira,  busca estudar cada detalhe do dia a dia de personagens que estão vivendo um período de transformação em suas vidas para que encontremos nestes detalhes – por mais mundanos que possam parecer – o não extraordinário, ou o que nos faria cair em uma possível idealização daqueles em cena ou  ainda em um sentimentalismo fácil, todavia, vemos o que há de mais humano e essencial neles.

Juliana (Grace Passô) está se mudando de Itaúna, no interior do estado de Minas Gerais, para a periferia de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, onde irá trabalhar no combate às endemias na região. Em seu novo trabalho ela conhece pessoas e vive situações pouco usuais que começam a mudar sua vida. Ao mesmo tempo, ela começa a enfrentar dificuldades no relacionamento com seu marido, que também está prestes a se mudar para a cidade grande.

Trailer

Apesar de tímida e reservada, Juliana parece encontrar um certo conforto quando conta para algum outro personagem alguma história de sua vida. Além dela, outros ali presentes em cena tem a sua vez de narrar acontecimentos durante o filme e nesses momentos a direção nos coloca imediatamente na posição de ouvintes a medida em que a câmera direciona toda a sua atenção para o rosto de quem está com a fala. Um exemplo, é o take onde um morador mencionar o crescimento do bairro e somos então levados a ver detalhadamente as casas do lugar. 
  

Grace Passô consegue, em cada uma de suas pausas e hesitações de quem conta uma história pessoal para um novo amigo, dar vida a um roteiro que se preocupa a todo instante em retratar a naturalidade de uma conversa entre conhecidos. Dentro dessas narrativas e diálogos, nós vamos descobrindo toda a tragédia, a resiliência e a mundanidade dessa personagem que se revela justamente nos pormenores.

O tempo do filme se revela como um período do cotidiano onde percebemos a rotina de Juliana e de todos que trabalham com combate às endemias e também o tempo da memória que se dilata quando as histórias do passado dessas personagens vem à tona. A fotografia do filme reforça a diferença entre esses dois 'registros' na maneira com a qual lida com os espaços ao redor de todos ali. Assim, se ouvimos alguém contar um relato do passado, a câmera foca no rosto do narrador, já se estamos acompanhando o tempo do dia a dia desses personagens, então a câmera se distancia e nos mostra tudo que há ao redor.



Durante o longa, assistimos Juliana entrando na casa de diversas pessoas, todas desconhecidas a ela. E nestes domicílios, ela sobe no teto, revira garrafas, pneus, vasos e baldes, abre piscinas cobertas, etc. É curioso notar que esse movimento é recíproco; da mesma forma que Juliana representa uma pessoa estranha dentro de um espaço privado de alguém, ela vai se abrindo para outras pessoas e revelando mais sobre si. Além disso, a música do filme, composta por Pedro Santiago, acompanha a trajetória da mulher e consegue dar forma a esse movimento que a personagem faz tanto nas casas dos moradores do bairro aonde trabalha quanto a sua trajetória pessoal no decorrer do período de transmutação por qual acaba passando. 



Ficha Técnica

Título original: Temporada, 2018. Direção e Roteiro: André Novais Oliveira. Elenco: Grace Passô, Russo APR, Rejane Faria, Hélio Ricardo, Ju Abreu, Renato Novaes, Sinara Teles e Janderlane Souza. Gênero: Drama. País: Brasil. Fotografia: Wilssa Esser. Direção de Arte: Diogo Hayashi. Som: Tiago Bello, Marcos Lopes. Montagem: Gabriel Martins. Produtor Executivo: Thiago Macêdo Correia. Diretora de Produção: Marcella Jacques. Distribuição: Vitrine Filmes. Duração: 113 minutos.
@rsmrsrn


Não recomendado para menores de 12 anos

17 de Janeiros nos cinemas

/Nota da editora: a película entra em cartaz em 20 cidades brasileiras pelo projeto Sessão Vitrine Petrobras/

Escrito por Raísa Maris

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)