O Cão Que Não Se Cala | 45ª Mostra de Cinema de São Paulo


Perspectiva Interacional Vencedor do Big Screen Award no Festival de Roterdã. Também foi exibido em Sundance.

Historicamente, o cinema argentino tem se mostrado um dos mais desenvoltos e resistentes da América Latina. As produções cinematográficas, com forte apoio da IBERMEDIA e do INCAA, diretores e artistas de renome, tem nos entregado obras significativas no idioma castelhano.

Com 16 anos de carreira, o sexto filme de Ana Katz (que também dirigiu Sueño Florianópolis), "O Cão Que Não Se Cala", é um exemplo desta qualidade. A produção traz no elenco nomes como: Daniel Katz, Raquel Bank, Valeria Lois, Marcos Montes, Elvira Onetto, Mirela Pacual, Carlos Portaluppi, Lide Uranga e Julieta Zylberberg.

A película foi rodada em 2019, portanto, sua captação fora realizada antes da Pandemia. Entretanto, assisti-la agora no momento em que nos encontramos faz da história algo atual e realista. Quantas mudanças a vida nos apresentou e fez nascer em cada um a capacidade de adaptação e resiliência!

Assim também, com um humor absurdo, Ana Katz descreve as várias etapas da vida. A narrativa se inicia com Sebastian (Daniel Katz) podando uma árvore sob o olhar silencioso e atento da cadela Rita. Cortar os galhos mortos para novos nascerem. As metáforas irão se suceder por toda o andar do roteiro bem amarrado, assinado pela própria Katz e Gonzalo Delgado.


Ficha Técnica

Título original e ano: El Perro Que No Calla, 2021. Direção: Ana Katz. Roteiro: Gonzalo Delgado, Ana Katz. Elenco: Daniel Katz, Raquel Bank, Valeria Lois, Marcos Montes, Elvira Onetto, Mirela Pacual, Carlos Portaluppi, Lide Uranga e Julieta Zylberberg. Gênero: Drama. Nacionalidade: Argentina. Departamento de Som: Ncolás Pauyeta, Jesica Suarez. Fotografia: Gustavo Biazzi, Fernando Blanc, Marcelo Lavintman, Joaquín Neira, Guillermo Nieto. Figurino: Pilar Gonzalez. Duração: 73min.

Sebastian, na faixa dos 30 anos, é o tutor da cadela idosa, já com seus 8 anos. Os vizinhos se acumulam na porta mesmo debaixo de chuva. Estão no limite. Eles sofrem, choram e se compadecem da situação. Dizem que Rita late sem parar quando está só. Mas se você olhar para aquele animal tranquilo, não dirá que está causando tanto transtorno. Todavia, a situação requer uma atitude e o homem decide leva-la para o escritório onde trabalha como designer gráfico. Ideia absurda! O local exige regras de comportamento e Sebastian o abandona sem reclamar. Apesar de passivo, seu semblante reflete seu desencanto com a conjuntura do que se passa. O amor por Rita fala mais alto.

A partir daí a narrativa se vale de uma série de eventos que acontecem cena a cena, saltando no tempo. A cada adversidade, ele tenta encarar da melhor maneira possível, mostrando força e adaptabilidade, se encaixando em diferentes empregos e moradias, que vão desde caseiro, trabalhar em uma cooperativa agrícola, cuidador de idosos ou voltar a viver com a mãe e cozinhar para as amigas dela. Ele faz o que aparece. O evento mais marcante nos é apresentado em partes idealizadas com auxilio de animação, o que realmente emociona e ameniza o impacto real da morte.


Tecnicamente, o filme é muito envolvente e a decisão pelo preto e branco só agregou valor à película. A trilha sonora é envolvente e emoldura cada fase da existência humana de forma perfeita. Algumas catástrofes da vida se assemelham a um meteoro que a tudo destrói. O ar se torna irrespirável a partir de uma certa altura do solo. Ou vc se habitua e se abaixa ou gasta fortunas em capacetes que se assemelham a escafandros. Mais metáforas para aguçar nossa imaginação. Amor, casamento, filho, separação, vida de pai separado e responsável... cada etapa vai passando rapidamente. Quem sobrevive? Aquele que melhor se adequa!

Vinheta da 45ª Mostra


Assista no MOSTRA PLAY, clique aqui.

SERVIÇO:
45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 
De 21 de Outubro a 03 de Novembro.
Presencial e Online

MOSTRA PLAY

São inúmeros títulos confirmados na Mostra Play, cada um deles terá um limite de visualizações então, corra para escolher o seu e assistir logo!

Serão oferecidos três pacotes exclusivos (não são válidos para nenhuma exibição presencial) e devem ser solicitados via e-mail (pacote_mostraplay@mostra.org). O pagamento deve ser realizado via transferência bancária. Quantidade e valores: 5 ingressos (R$ 57,00), 10 ingressos (R$ 105,00) ou 15 ingressos (R$ 150,00).

A programação da Mostra Play e das salas tem outro formato, isto se deve porque nem todos os filmes que estão disponíveis nas salas poderão ser assistidos também virtualmente. O ingresso individual para cada título da Mostra Play estará disponível a partir do domingo, 17 de outubro, custa R$ 12,00 e pode ser comprado diariamente no site https://mostraplay.mostra.org (pagamento por cartão de crédito das bandeiras visa ou mastercard). Após a compra, os filmes ficam disponíveis por 72 horas e, após o play, por 24 horas.

Escrito por Helen Nice

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)