Listen | 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

 

Vencedor do prêmio de melhor longa-metragem de estreia e do Prêmio Especial do Júri da seção Horizontes no Festival de Veneza.

Nascida em Lisboa, Ana Rocha de Sousa tem uma carreira de sucesso em Portugal. Formada em Licenciatura em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, mudou-se para o Reino Unido em 2010, para estudar Cinema na London Film School.  

Listen, seu filme de estreia, já chegou conquistando vários prêmios, entre eles o de Melhor Longa Metragem de estreia e o prêmio do Júri da Seção Horizontes no Festival de Veneza. O roteiro leva as assinaturas de Paula Vaccaro, Aaron Brookner e da própria Ana Rocha.

Na trama, o casal de imigrantes portugueses Jota (Ruben Garcia) e Bela (Lucia Moniz) vive modestamente no subúrbio de Londres com seus 3 filhos: Diego (James Felner), de 12 anos, Lu (Masie Sly) de 7 anos, portadora de deficiência auditiva, e a bebê Jessy (Lola Weeks/Kiki Weeks), de apenas 12 meses, ainda sendo amamentada pela mãe. A família sobrevive às custas de empregos precários, mal remunerados e sem vínculos permanentes. O fato da filha Lu necessitar de acompanhamento profissional levou a família a procurar ajuda do serviço social, que faz visitas constantes de avaliação. A garota necessita de um novo aparelho auditivo, mas não há dinheiro para isso. Bela leva a criança para a escola sem o aparelho e a instrui a manter segredo sobre o fato.

Após o dia de trabalho como empregada, ao buscar a filha na escola é alertada sobre as marcas vermelhas nas costas da menina e tem uma reação de pânico. Todas as evidências pesam contra a família, que sofre uma denúncia. As crianças são retiradas do pátrio poder e entregues ao sistema para serem encaminhadas para lares provisórios e posterior adoção.  O processo é rápido e segue mesmo sem provas reais. O protocolo do Serviço Social é fechado e conclusivo, não leva em conta as individualidades de cada caso. Respostas inflexíveis e burocráticas definem o futuro dos menores, sem pesar o fator humano, as dores e sofrimentos da família. 



Ficha Técnica

Titulo original e ano: Listen, 2020. Direção: Ana Rocha de Sousa. Roteiro: Elenco: Lúcia Moniz, Sophia Myles, Ruben Garcia, Maisie Sly, James Felner, Kiran Sonia Sawar. Gênero: Drama. Nacionalidade: Portugal, Reino Unido. Fotografia: Hatti Beanland. Edição: Tomás Baltazar. Figurino: Belle Mundi. Distribuidora: Fênix Filmes. Duração: 01h13min.

O filme é muito direto e preciso ao apresentar o burocrático processo de adoção britânico baseado em leis antigas. O sistema dá privilégios às famílias adotantes que recebem ajuda de custo. Segundo as leis, nunca se reverte um processo de adoção após iniciado. Durante os poucos contatos entre a família e as crianças, a mãe é impedida de usar a linguagem de sinais para se comunicar com a filha. Neste sentido, Listen também denuncia a falta de reconhecimento oficial deste tipo de linguagem. Logo, aborda-se a questão tanto da deficiência auditiva da criança como da deficiência de um sistema que não ouve os mais necessitados, incapaz de se adaptar a cada situação em particular. Já o garoto é rapidamente enviado para um lar temporário e sua trajetória será bem intrincada e emocionante. 

A família irá contar com a ajuda clandestina de uma ex-assistente social Anne Payne (Sophia Myles) e de uma rede de ajuda não oficial. A bebê Jessie é colocada na lista como apta para adoção, independente da luta dos pais para reavê-la. Lu, por conta da deficiência, se torna um caso mais complicado, porque "nenhuma família iria querer". As diretrizes do Protocolo dos Serviços Sociais se mostra frio e cruel e a narrativa transmite muito bem toda tensão da corrida contra o tempo. 


Os protagonistas entregam atuações contundentes. Jota, ponderado e contido se contrapõe à Bela, visceral e explosiva. "Não sou seu inimigo, estou do teu lado". A depressão da mãe pesa contra seus esforços para reaver seus filhos e a cena da fala de Bela perante o juiz é forte e emotiva. ''Meus filhos não estão à venda!"

Listen explora uma questão séria e real que necessita ser discutida. O expectador será envolvido nesta batalha incansável contra o sistema. Contudo, o final pode não ser o mais aguardado.

Vinheta da 45ª Mostra


Assista no MOSTRA PLAY, clique aqui.

SERVIÇO:
45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 
De 21 de Outubro a 03 de Novembro.
Presencial e Online

MOSTRA PLAY

São inúmeros títulos confirmados na Mostra Play, cada um deles terá um limite de visualizações então, corra para escolher o seu e assistir logo!

Serão oferecidos três pacotes exclusivos (não são válidos para nenhuma exibição presencial) e devem ser solicitados via e-mail (pacote_mostraplay@mostra.org). O pagamento deve ser realizado via transferência bancária. Quantidade e valores: 5 ingressos (R$ 57,00), 10 ingressos (R$ 105,00) ou 15 ingressos (R$ 150,00).

A programação da Mostra Play e das salas tem outro formato, isto se deve porque nem todos os filmes que estão disponíveis nas salas poderão ser assistidos também virtualmente. O ingresso individual para cada título da Mostra Play estará disponível a partir do domingo, 17 de outubro, custa R$ 12,00 e pode ser comprado diariamente no site https://mostraplay.mostra.org (pagamento por cartão de crédito das bandeiras visa ou mastercard). Após a compra, os filmes ficam disponíveis por 72 horas e, após o play, por 24 horas.

Escrito por Helen Nice

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)