Downton Abbey II: Uma Nova Era | Assista nos Cinemas

A série de sucesso Downton Abbey (leia comentários aqui) chegou aos cinemas em 2019 (leia texto aqui) e agradou bastante a crítica, assim como o show fizera anos antes. O filme, com direção de Michael Angler e roteiro do criador Julian Fellowes, retratava um evento especial na vida dos Duques e Duquesas de Downton com a visita do Rei as propriedades da nobre família - claro, não esquecendo de abordar também a vida daqueles que cercam o clã, os empregados da casa. Assim como a produção da ITV, o longa abria espaço para mais narrativas e Fellowes e seu time tiveram aval para uma segunda rodada cinemática de dramas. 

Downton Abbey II - Uma Nova Era gira em torno não só da manutenção do mega casarão como ainda nos faz conhecer mais sobre o passado da Condessa Violet, papel da estupenda Maggie Smith, e os arcos de personagens importantes também ganham novos desdobramentos com esta continuação. O filme tem direção de Simon Curtis (A Dama Dourada) e texto de Fellowes. O elenco retorna em peso para o trabalho e temos a adição de Hugh Dancy e Dominic West como profissionais da indústria do cinema que vem a Downton para gravar um filme nos espaços da mansão.

O drama tem distribuição da Universal Pictures Brasil.

Trailer


Ficha Técnica

Título original e ano: Downton Abbey II: A New Era, 2022. Direção: Simon Curti. Roteiro: Julian Fellowes — baseado nos personagens criado por Fellowes. Elenco: Hugh Bonneville, Michelle Dockery, Elizabeth McGovern, Maggie Smith, Tuppence Middleton, Allen Leech, Sophie McShera, Laura Carmichael, Joanne Froggatt, Imelda Staunton, Robert James-Collier, Hugh Dancy, Dominic West, Laura Haddock, Samantha Bond, Raquel Cassidy, Penelope Wilton, Brendan Coyle, Jim Carter, Phyllis Logan, Lesley Nicol,Sue Johnston, Harry Hadden-Paton, Kevin Doyle, Michael Fox. Gênero: Drama, época. Nacionalidade: Reino Unido, Estados Unidos. Trilha Sonora Original: John Lunn. Fotografia: Ben Smithard. Edição: Mark Day. Direção de Arte: Mark Kebby. Distribuição:Universal Pictures do Brasil. Duração: 02h02min.

Uma Nova Era parece chegar a Downton quando o viúvo de Sybil, Tom Branson (Allen Leech) finalmente se casa com a amada Lucy Smith (Tuppence middleton), com quem já mantia um relacionamento. A partir do evento, chegam notícias a família de que  Condessa Violet herdou uma casa de veraneio no sul da França de um antigo admirador. Paralelo a isto, Lady Mary (Michelle Dockery) conversa com o pai Robert (Hugh Bonneville) sobre o estado atual da mansão e de como esta necessita de reparos, mas eles não estão bem das finanças. A mulher decide confessar isto ao Duque, pois o mesmo recebeu uma proposta alta de um grande Estúdio de Cinema para alugar o local para a filmagem de uma produção e ele não tinha interesse em aceitar. Porém, os ventos acabam mudando o barco de seu curso original.

Com o aceite do Duque, Lady Mary se propõe a acompanhar toda a realização do filme e não deixar que estraguem a casa enquanto Tom e o Duque seguem para a França ao interesse de tentar entender por que cargas d'água Violet ganhou ''uma villa'' de um nobre francês. As esposas os acompanham, bem como a mãe de Lucy, Maud (Imelda Staunton), e o ex-Mordomo, Carson (Jim Carter). Cora (Elizabeth McGovern), contudo, sabe que tem que contar ao esposo, sobre sua saúde, mas aguarda um pouco mais e ao terceiro ato este é mais um dilema para o casal. Logo, ela não tira o foco de Robert que está ansioso por demais para resolver toda a história do presente dado a sua mãe.

Apesar do medo dos estragos que possa vir a ocorrer com a visita da equipe do filme, Lady Mary realmente se dedica a ajudá-los e encanta o diretor do filme, Jack Barber (Hugh Dancy), já que o marido da senhora de Downton está cuidando de outros assuntos e não deve retornar para o lar nem tão cedo. Os astros do filme (dentro do filme), Guy Dexter (Dominic West) e Myrna Dalgleish (Laura Haddock) chegam com tudo ao lugar. O ator se é super simpático e logo se mostra atencioso com quem menos esperamos, o mordomo Thomas Barrow (Robert James-Collie), já a loura de lábios vermelhos está preocupada com as mudanças na indústria do cinema e em como ela pode não estar apta para tais atualizações. Alias, todos os empregados ficam encantados com a possibilidade de servir a equipe e colaborar na produção, mas a convivência pode não ser muito agradável. 

Um roteiro de Julian Fellowes é tudo que um diretor precisa para colocar em prática sua arte visual. Downton Abbey, as series ou os filmes, entregam inúmeras camadas dentro da mesma história e nenhuma delas é entediante. Pelo contrário, Fellowes consegue construir climáx para os personagens se desenvolverem dentro de uma leva de acontecimentos que sempre surpreendem. O público tem aqui a chance de se emocionar, rir, e tem também o prazer de ver mais uma vez os nobres de Downton passar por uma leva de novas ''aventuras''

Não só isso, alguns personagens encontram redenção e conseguem um final satisfatório. Há um gostinho de partida de alguns deles, mas a vida é assim. O que temos de bom não é para sempre, não é mesmo? Os casais que se formaram, ainda na série, tiverem muitos tumultos, mas alguns continuam juntos como Anna e Bates, ou ainda o já casal Robert e Cora que vez ou outra estão provando que são muito apaixonados e cuidam um do outro. Aliás, o romance nesta continuação vem forte e agradabilíssimo. Há a menção de um ou outro personagem que morreu na série, como a filha de Robert e o ex-marido de Lady Mary, mas todos os eventos aqui funcionam além da mesma e o filme é esplendoroso em seu desenvolvimento. 

Edith, a irmã do meio de Mary, volta a escrever e também a tirar fotos, e ambas as mulheres põem em check a posição da mulher na sociedade do pós primeira guerra. Mary, além de ser a gestora da fortuna, encontra algo para se divertir e ajudar alguém, ao passo que Edith foca tudo em seus artigos para revistas femininas. O arco de Thomas Barrow e também de Myrna Dalgleish são talvez um dos mais fortes no filme e se finalizam muito bem. Entre os empregados, vemos Carson voltar a ativa e Daisy empurrar o sogro para Mrs. Patmore para aliviar a tensão em casa. O também ex-Mordomo Mosley encontra uma nova profissão e perde o medo de amar. Além disso, vemos Isobel auxiliar Violet com questões próprias de uma dupla de amigas - quem diria, hein?!

A cena que visualiza a mansão logo ao inicio do longa vem com a música tema de Downton Abbey, o que faz o coração acelerar. E este elenco tão magnânimo e real dá tom a tudo que se pede no texto de forma espetacular. Maggie Smith é sempre o destaque em cena pelas falas que espetam, mas vem mais branda aqui. Smith sempre foi a grande pérola da série chegou até a ganhar prêmios por sua performance. As cenas finais do longa comprovam que a atriz é a Dama do audiovisual inglês e sempre será.

Downton Abbey: Uma Nova Era não entrega nada menos que o filme anterior e a série já entregaram, figurino lindíssimo, direção de arte ainda mais perfeita e uma fotografia digna de prêmios. Não há mesmo o que não gostar aqui - ainda que você seja um punk que odeia a realeza britânica, vai se encantar com os casos de família que verá.

Avaliação: Três intrigas e setenta e cinco romances (3,75/5).

 HOJE NOS CINEMAS

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)